sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

O Beco

 
Difícil mesmo é vir aqui e escrever com calma
aquilo que a mente está gritando, suplicando, martelando...

Louca, eu não sou louca, bem como sei que sou!!!
Vivo em uma luta interna..
onde o mais belo jardim de rosas torna-se inferno sujo em questão de segundos.
E a mente vai de Deus ao Demônio num piscar de olhos..
Palavras, se pudesse as escreveria com meu próprio sangue, cravaria em uma parede e as recitaria até o fim.
Fim este que está sempre tão perto. Enquanto a minha coragem se encolhe no canto de um quarto escuro.
E isto é tudo que tenho, e isto é tudo que sou
Uma caixa velha feita de sonhos mortos, desejos podres, erros banais e muita incapacidade!
Como pude, sonhar tanto, desejar tanto, criar um futuro
que eu nunca teria capacidade de alcançar.
Subi a maior das montanhas, flutuei até a mais alta nuvem
E de lá caí!
Caí, mas fui até incapaz de morrer..
Talvez eu seja insuficiente para os céus
E fraca demais para o inferno.

Quando os braços não querem mais se movimentar,
E os olhos mal podem se manter abertos,
O coração bate pesado
E a vida parece algo pesado demais para se carregar..

Procuro um beco, incapaz de ser utilizado, para que então eu me identifique e fique
De vez por lá...

Motivos

Noites da minha vida,
 eu passo muito tempo procurando motivos.
Motivos para viver, para acordar...
Nunca os encontrei.

Talvez estejam por aí,
No sorriso alheio.

Anjos de plantão?
Talvez estejam por ai, cuidando dos outros...

PEDIR AJUDA?

E a vida segue assim,
conte..
Quantas vezes eu apareci aqui angustiada
Quantas vezes eu desejei morrer
Quantas vezes eu vim até aqui e gritei a esses ouvidos surdos, dores que me corroem
E QUE NINGUÉM OUVIU!

Estar aqui gritando, é como uma criança sozinha chorando..
NÃO TEM NINGUÉM AO REDOR
NINGUÉM PARA AJUDAR.